quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sobre a privatização da água pretendida por PS, PSD e CDS

Depois de o Governo do PS afirmar pela voz do ex-Ministro do Ambiente, de má memória, Nunes Correia, que a estratégia do Governo era: "privatizar de baixo para cima o sector da água".

Depois de o PS enquanto Governo ter aprovado a Lei da Água com o voto favorável do PSD e do CDS e de nela inscrever a privatização da água como objectivo fundamental.

Depois de o Governo PS de Sócrates ter escrito numa análise SWOT, contida no PEAASAR, que uma das oportunidades do sector da água é: "Elevado potencial de crescimento do mercado da água, proporcionando espaço para o aparecimento de novos interessados e para o fortalecimento do tecido empresarial privado nacional que actua neste mercado."

Depois de tudo isso, vem o PSD e o CDS aplicar a lei da autoria do PS e dizer que quer avançar com a privatização do sector, sob o fogo cerrado do PS a quem agora, como vem sendo habitual, a consciência de esquerda assomou, porventura por ser oposição e querer ser governo para fazer depois o que agora critica.

Mas a questão é muito simples e coloco-a sobre a forma de pergunta à qual qualquer leitor na posse de capacidade mínima de honestidade e lucidez saberá responder:

"uma empresa privada que visa o lucro e gere uma rede de abastecimento mais depressa corta a água a uma família com dificuldades ou a uns ricos com piscina? qual é o melhor cliente?"

e não se esqueçam que, do ponto de vista ambiental, do ponto de vista social, a utilização que a família pobre dá à água é incomparavelmente mais sustentável e adequada que a utilização que o rico lhe dará para se banhar na piscina.

3 comentários:

Anónimo disse...

Uma pergunta ingénua, ou talvez não. Seguindo o exemplo dado, já hoje em dia, uma família em dificuldades, se não pagar a factura da água, cortam o abastecimento, certo? Então, qual a diferença para para o privado?

pedras contra canhões disse...

Hoje em dia, uma família em dificuldades é proprietária da água. Se achar que a gestão está a ser mal feita, pode mudar o voto. Se a água for privada, não podemos votar em quem a gere.
é uma diferença substancial...
além disso, a estrutura de preços do privado inclui o lucro e a do público não tem de o incluir necessariamente, na medida em que não é esse o seu objectivo.

Anónimo disse...

Estamos num momento de passageira alegria, se gostamos de futebol. O pior é que vem aí as férias e muita gente não tem subsídio de férias, é um castigo extra nesta crise imposta pela Ângela Merkel e pelos seus súbditos.
Este blog é interessante e criativo.
Também tem interesse www.anticolonial21.blogspot.com